quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

O maior festival de flores do Cariri está de volta, em sua oitava edição. Começa no próximo dia 2 de dezembro e vai até o dia 11, a VIII edição do Festival das Flores de Holambra no Cariri, com a perspectiva de receber mais de 20 mil pessoas, nos 10 dias de realização do evento. O local estará aberto todos os dias, das 8 horas às 20 horas, na Praça Padre Cícero, em Juazeiro do Norte.
O Festival já se tornou um evento tradicional no calendário de eventos da cidade e região. São cerca de 200 espécies de flores e plantas ornamentais. As remessas em containers das espécies, trazem um colorido especial ao Cariri, durante essa época do ano. Na sexta-feira, 2, as portas estarão abertas ao público, que terá a oportunidade de escolher produtos raros e adaptáveis à região, com orientações técnicas da melhor forma de cultivo da planta e a adaptabilidade ao clima local. 
O festival, já consolidado na região do Cariri, tem sido interessante nessa época do ano, para promover e fortalecer o turismo regional.  Há sete anos como uma das mais importantes feiras de flores do interior do Estado, se tornou uma vitrine para os empreendedores do segmento, além daqueles que cultivam plantas e flores.
O sucesso a cada ano comprova a qualidade dos produtos destinados ao público da região. Entre as espécies, estão flores raras como orquídeas, gérberas, violetas, cactos, plantas carnívoras, bonsais, entre outras espécies. Muitos dos que frequentam a feira neste período, anterior ao Natal, aproveitam para presentear parentes e amigos, com algo inusitado, especial e com preços acessíveis.
Entre as vantagens de se adquirir nesse período as plantas e flores no Festival de Holambra, estão a fácil acessibilidade, preços mais em conta, com a venda direta da cidade de Holambra, em São Paulo, ao consumidor caririense, formas facilitadas de pagamento, também no cartão de crédito, além das orientações técnicas dos próprios representantes da cooperativa de produtores, e um atendimento simpático. 
O evento conta com a realização do Centro Espírita Beneficente União do Vegetal, com o apoio da Prefeitura Municipal de Juazeiro do Norte e dos diversos apoiadores, que a cada ano tem contribuído com esse projeto beneficente. No local, as pessoas terão a oportunidade de tirar uma selfie num cantinho especial, onde poderão obter imagens cheias de cor e alegria, num espaço aconchegante.

Divulgação

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Nessa atmosfera de encantamento e valorização das múltiplas expressões da cultura cearense, foram diplomados os novos mestres da cultura oficialmente reconhecidos pelo Governo do Estado: Maria José Costa Carvalho (Dona Mazé da Quadrilha), Maria Deusa e Silva Almeida (Dona Deusa, de atividades religiosas, de Assaré), Maria de Lourdes da Conceição Alves (a Cacique Pequena, do canto, da composição musical e das tradições indígenas); José Pinheiro de Moraes (o mestre Deca, dos Penitentes), Geraldo Ramos Freire (ferreiro, de Juazeiro do Norte), Francisco Felipe Marques (Mestre Tico, do reisado, do Crato) e Francisco Dias de Oliveira (o Mestre Françuli, de Potengi, da arte de escultura em metal, "flandeiro").
Após a diplomação, o secretário da Cultura, Fabiano dos Santos Piúba, convidou todos os 45 mestres da cultura presentes a formar uma grande roda, no espaço de apresentações. Cada mestre foi convidado a dizer seu nome, a cidade de onde vem e qual a sua arte ou expressão. Do Palhaço Pimenta a Mestre Cirilo, do maneiro pau. De Vicente Chagas, do reisado de Guaramiranga, aos benditos de Dona Maria do Horto. Da dramista Maria do Carmo, de Tianguá, ao bonequeiro mestre Gilberto, de Icapuí. O testemunho de cada artista emocionou a plateia, que respondeu com muitos aplausos, diante de tantos conhecimentos, tanta sensibilidade, tantos saberes e fazeres a um tempo únicos e compartilhados.
"A cultura é um saber comum solidário, comunitário. Quero agradecer muito, em nome do Estado do Ceará, da Secretaria da Cultura, pelo saber, pelo ofício e pela arte que vocês oferecem e transmitem de mão em mão, de corpo em corpo, de espírito em espírito, de coração em coração", destacou Fabiano dos Santos.

Assessoria Secult
Neste mês da Consciência Negra, a série Ceará de Atitude apresenta a história de Patrícia Bittencourt, empreendedora da Rede Kilofé que criou a própria marca, Preta Bitten, como forma de lutar contra a discriminação. Hoje, o negócio já conta com uma loja no Centro de Fortaleza, que comercializa camisetas e outros itens com estampas afro. O Ceará de Atitude é uma produção especial da Coordenadoria de Imprensa do Governo do Ceará, que, mensalmente, conta a história de pessoas que fazem a diferença no Estado.
“Eu vislumbrava algo no futuro que tivesse casado com a questão econômica, mas que também fosse associado às minhas lutas. Então, em 2013, quando passei por um momento difícil, enxerguei em mim - mulher negra e cheia de anseios -, a possibilidade de retratar toda essa força”. O depoimento é da microempreendedora Patrícia Bittencourt, de 36 anos, que após ficar desempregada criou a marca Preta Bitten, empresa de camisetas e vestuário com estampas afro.
Inicialmente com foco no universo feminino, a marca foi apresentada ao público em feiras realizadas pela Rede Kilofé, rede produtiva de negócios entre empreendedores negros do Ceará. Hoje, a Preta Bitten já possui loja física no Centro de Fortaleza e comercializa produtos para ambos os sexos. “A Feira Kitanda (que este mês foi realizada no Dragão do Mar, no dia 20 de novembro), promovida pela Rede Kilofé, foi extremamente importante para consolidação da marca. Recebemos diversas encomendas graças a exposição que fazemos dos produtos”, aponta Patrícia.
Segundo ela, a discriminação acabou motivando a criação da marca. “ A Preta Bitten surge a partir do sofrimento que tive na infância, pois era muito discriminada por ter a pele clara e o cabelo crespo. Observando minha mãe pintando as colchas de cama e panos de prato e enfrentando dificuldades financeiras, pensei em criar algo que desse visibilidade à população negra, mostrando quem nós somos, e que nos valorizasse”, afirma.
Mãe de gêmeas, Patrícia diz que combater a discriminação que as filhas sofrem no dia a dia destaca ainda mais o respeito que deve existir entre o ser humano. “Um dia, minha filha veio dizer que estava se sentindo mal porque as coleguinhas na escola estavam chamando-a de feia. Porém, elas não têm culpa, é uma questão de educação. Explico que elas podem ajudar essas pessoas que a discriminam para que entendam o quanto é importante respeitar o diferencial do outro”, enfatiza.

Núcleo de Comunicação do Governo do Estado

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

O fechamento de mais de 400 agências do Banco do Brasil, com o consequente desligamento de mais de 18 mil servidores, anunciado pela instituição financeira, será questionado pela Comissão de Defesa do Consumidor, da Câmara dos Deputados. Requerimento nesse sentido foi preparado pelo deputado federal cearense Chico Lopes (PCdoB), que, além da preocupação com demissão em massa de bancários, como na era FHC, alert apara o retrocesso em uma das maiores instituições financeiras do mundo e para o risco de consequências extremamente negativas para o consumidor, com o fechamento de tantos pontos de atendimento.
"A desculpa de que muitas operações bancárias são feitas através da Internet não convence neste caso. Essa realidade do atendimento virtual já acontece há muito tempo, e mesmo assim o Banco do Brasil montou a rede atual de agências, porque avaliou que elas eram necessárias, para poder prestar seus serviços com capilaridade, chegando até onde a população está", questiona Chico Lopes, para quem a medida reflete, na verdade, o entendimento do novo Governo Federal sobre precarizar os serviços públicos, diminuir a qualidade de atendimento para, em um futuro breve, defender a privatização da instituição financeira.
"Apesar da evolução da tecnologia, são muitos os serviços que só podem ser feitos em agências, como o atendimento personalizado, cara a cara com o seu gerente, orientando sobre investimentos, economia, seguros, financiamento imobiliário, previdência", reforça o deputado Chico Lopes, cuja atuação na Comissão de Defesa do Consumidor, questionando as tarifas bancárias, foi responsável pela padronização e redução dessas tarifas, pelo Conselho Monetário Nacional e pelo Banco Central.
"Não se pode aceitar que os vários retrocessos provocados pelo governo Temer, que já quer cortar recursos da educação, da saúde, da assistência social, da Previdência, cheguem também a uma empresa forte e respeitada como o Banco do Brasil. Quem vai pagar a conta, se essas agências forem realmente fechadas, são os servidores do banco e os clientes", alerta. 

Assessoria Parlamentar

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Na sexta-feira (18), o Sesc Ceará, instituição pertencente ao Sistema Fecomércio-CE, dá início à programação da 18ª Mostra Cariri de Culturas. O show de Martinho da Vila, às 21h, na RFFSA – Crato, marca a abertura de mais uma edição do projeto. A apresentação do músico, em sua primeira vez na Mostra, marca as comemorações dos 100 anos da história do samba no Brasil.
Mais cedo, a partir das 17h, nas ruas do centro comercial de Juazeiro do Norte, um cortejo com grupos de tradição da região do Cariri inicia as atividades da Mostra, dando as boas-vindas ao público. Ainda no primeiro dia do projeto, os músicos Waldonys e Marcos Lessa se apresentam, a partir das 21h, na cidade de Santana do Cariri.

Cortejo Tradição
No cortejo, 10 grupos abrem a programação pelas ruas de Juazeiro do Norte, reforçando o destaque da cultura popular, que sempre esteve presente na Mostra Sesc Cariri de Culturas. Desde a sua primeira edição, em 1999, os Mestres da Cultura têm espaço garantido na programação da Mostra, para transmitir alegria, conhecimentos e saberes ao público. Em 2016, o núcleo de tradição reúne 105 grupos da região e cerca de 1.400 brincantes.
Assessoria de Comunicação


Na próxima segunda-feira, dia 21/11, os Correios farão o lançamento nacional dos selos comemorativos dos 10 anos do GeoPark Araripe. A cerimônia ocorrerá no auditório da sede do projeto, no bairro do Pimenta, em Crato, a partir das 19h. Na ocasião, estarão presentes representantes dos Correios, a direção executiva do Geopark e o Reitor da Universidade Regional do Cariri – URCA, Professor Patrício Melo, entre outras autoridades. O Geopark Araripe é pioneiro nas Américas e atualmente tem sido referência para criação de outros projetos do gênero na América do Sul. Na última semana, o Reitor da URCA solicitou projeto, junto à Câmara dos Deputados, para tornar o Geopark Patrimônio da Unesco.   
O evento está dentro das comemorações da primeira década do projeto, que já contou com duas avaliações da Unesco e conquista do Selo Verde, demonstrando a qualificação que vem obtendo ao longo dos anos, do trabalho desenvolvido pela URCA, com a parceria do Governo do Estado.
No último quadriênio foram realizados investimentos em infraestrutura, incluindo recursos do Governo do Estado e Banco Mundial, de cerca de R$ 10 milhões. Mesmo com as conquistas, os novos desafios se apresentam para o projeto que pretende ter uma integração maior com a comunidade.
 A educação ambiental tem sido um dos meios de inserção, com as escolas públicas, da rede privadas a entidades sociais. Segundo o diretor executivo do Geopark Araripe, Marcelo Martins de Moura Fé, as duas linhas principais do projeto, estão relacionadas ao fomento, com bons avanços nos últimos anos, incluindo a divulgação e a estruturação dos geossítios, e o segundo aspecto ao desenvolvimento sócio-econômico das comunidades.  

 Assessoria de Comunicação

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Irmãos Aniceto
Com a missão de promover uma programação rica e plural, grandes artistas nacionais também são convidados a compor a programação musical da 18ª Mostra Sesc Cariri de Culturas. Nesse ano, entre os dias 18 e 22/11, a programação recebe shows de Martinho da Vila (18/11 - Crato), Waldonys(18/11 – Santana do Cariri e 19/11 - Aurora), Marcos Lessa (18/11 – Santana do Cariri, 19/11 – Aurora e 20/11 – Seminário da Encosta/ Crato) e Alceu Valença (22/11 – Barbalha).

Além de proporcionar a descentralização da programação, ampliando as cidades atendidas com as grandes apresentações, os shows ainda incentivam a solidariedade. Isso porque, além de conferir a atração musical, o público é convidado a doar 1 kg de alimento não perecível, destinado ao programa de segurança alimentar Mesa Brasil Sesc.
Martinho da Vila
A abertura da Mostra é marcada pelo show de Martinho da Vila, no dia 18/11 (sexta-feira), na RFFSA - Crato, numa comemoração aos 100 anos de história do samba no Brasil. O cantor e compositor carioca, autor de 50 álbuns lançados ao longo de quase 50 anos de carreira, se apresenta pela primeira vez na Mostra.
Em seu repertório, Martinho da Vila emplaca os hits do último trabalho intitulado "De Bem Com A Vida", que foi lançado no último mês de agosto, o primeiro álbum com músicas inéditas em 9 anos. No show, o público também acompanha clássicos, que marcaram a carreira do artista de 78 anos, como "O Pequeno Burguês" e "Mulheres".
Waldonys
O cantor e músico cearense, Waldonys, se apresenta em duas cidades diferentes durante a Mostra, em Santana do Cariri no dia 18/11 (sexta-feira) e em Aurora no dia 19/11 (sábado). O artista apresenta no Cariri desde as canções tradicionais do forró de Luiz Gonzaga as suas novas músicas de trabalho. Waldonys acaba de gravar um novo DVD em seu estado natal com produção genuinamente cearense, intitulado de “Meu Ninho”. O DVD ainda não foi lançado, mas o sanfoneiro deve mostrar as novidades de seu novo trabalho nas cidades caririenses em que passar. 
Marcos Lessa
As cidades de Santana do Cariri (18/11), Aurora (19/11) e Crato (20/11) recebem o jovem intérprete e cantor, Marcos Lessa, que acaba de lançar onovo álbum intitulado “Entre o mar e o sertão”. Marcos Lessa surgiu para o grande público através do programa de televisão “The Voice Brasil” e logo conquistou crítica e espectadores. Sua voz é marcada pela concisão e estilo ao interpretar músicas de nomes como Gonzaguinha, Milton Nascimento, Emílio Santiago, entre outros tantos.
Alceu Valença
Cantor e compositor nato, Alceu Valença é um dos maiores ícones da música do Nordeste do Brasil. Levando ao palco a riqueza cultural da região, o artista pernambucano foi convidado para se apresentar no encerramento da Mostra, na terça-feira (22/11), na cidade de Barbalha. O músico promete um show animado, embalado por conhecidas discos de sucesso como: “Molhado de Suor” (1974), “Espelho Cristalino” (1977) e “Vivo! (1976)”, uma ponte entre a música do sertão profundo e as sonoridades psicodélicas do pop/rock setentista. O mesmo trabalho foi materializado em seu último DVD, intitulado VIVO! REVIVO!, gravado no Teatro Santa Isabel, em Recife, neste ano.
Assessoria